Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Ser mãe’

O dia das mães está chegando e, com ele,  as atividades de integração da escolinha do Fernando.

Quando eu estava na escola (para não dizer o pesado “no meu tempo”) as crianças faziam umas lembrancinhas bem chumbregas nas aulas de artes como: cinzeiro de argila, porta lápis de palito de sorvete e desenhos no papel de lixa.

Eu, por exemplo, sempre ficava aflita nesta época.

Morava com minha mãe na casa da minha avó e sentia que era injusto não homenagear aquela que tomava conta de mim todas as tardes do ano. E os meus presentinhos acabavam sempre mofando em alguma prateleira escondida da estante de madeira na sala.

Fernando e Dalgi, sua professora, em momento "iupi!!"

Fernando e Dalgi, sua professora, em momento "iupi!!"

Com o passar dos anos muitas escolas adotaram uma postura mais acolhedora nestas comemorações, com o intuito de integrar pais e familiares com o ambiente no qual os filhos passam a maior parte do tempo.

Hoje, pais e família são convidados e estimulados a participar mais ativamente dessas comemorações. Mães ajudam os filhos na  confecção de suas próprias lembranças. A criança faz sua “obra prima” lado a lado com os entes queridos.

A cara de satisfação dos pequenos é impagável.

Poder estar ali, realizando uma atividade na escola junto com os pais e ao mesmo tempos com os amiguinhos de sala é algo que, na idade do Fê, é meio surreal.

Ele fica doidinho: corre para um lado, chama o amigo para mostrar que eu sou a mãe dele, depois me puxa pra dentro de uma sala para mostrar onde ele guarda os brinquedos e explica o porquê de cada um estar guardado de determinado jeito, me mostra onde fica o banheiro com privada pequeninha, dá tchau para a faxineira, me leva até ela e a abraça junto comigo.

Fico muito feliz que, hoje em dia, as comemorações sejam dessa maneira. Os presentinhos quebram, se perdem pelo tempo. Mas os momentos vividos nestes dias ficam gravados para sempre em nossas memórias.

Fernando mostra, para avó de amigo, o jogo da galinha dos ovos de ouro, confeccionado pela sala dele.

Fernando mostra, para avó de amigo, o jogo da galinha dos ovos de ouro, confeccionado pela sala dele.

Anúncios

Read Full Post »

Com um mês de vida, beeem mais bonitinho!

Com um mês de vida, beeem mais bonitinho!

Quando meu filho nasceu, criei uma espécie de blog no MSN Spaces para que toda a família pudesse acompanhar o desenvolvimento do baixinho. Para quem não sabe o Fernando nasceu prematuro e por isso não pude receber visitas em casa durante 2 longos meses.

O intuito era que o “microblog” virasse uma espécie de big brother familiar, onde avós, tios e tias aflitos e ansiosos pudessem participar um pouquinho mais da luta do Fê em ganhar peso e sair pro mundo.

Reli alguns posts antigos e não pude contar algumas risadas “enlagrimadas” (se é que esse termo existe). A rotina diária era tragicômica…entre golfadas e fraldas recheadas eu tentava, desesperadamente, descobrir o meu lado maternal oculto. Procurava meios de  encarnar aquela figura matriarcal, de avental, fazendo comida com uma mão e segurando o bebê em outra, tendo como pano de fundo uma casa impecavelmente arrumada e um visual “nos trinks” (parafraseando meu  avô).

Mas tudo que saía de mim eram lágrimas de pânico, de dor, de alegria…enquanto minha casa ruía numa bagunça que nem eu mesma era capaz de compreender como havia chegado naquele ponto. Era muita coisa acontecendo ao mesmo tempo,  e eu tinha só 22 anos de idade e o peso de uma insegurança inteiro nas costas. Queria provar que eu dava conta do recado. Que não precisava de ninguém. Talvez eu quisesse apenas mostrar à minha pessoa que  era capaz de lidar com tudo aquilo, sozinha, apesar das provas histéricas que insistiam em dizer o contrário.

Hoje o pequeno ratinho (que nasceu peludo, narigudo, com 2,100 kgs e 42 cm) se transformou em um menino lindo e cheio de saúde. O melhor amigo da mãe e do pai. Um “moleque da hora”, companheiro, feliz da vida. Que foi, a duras penas, e continuará sendo criado sem frescura, pro mundo que está aí fora, esperando por ele de boca e abraços abertos.

Pra quem quiser visitar o blog, que está super desatualizado e com um layout de matar, clique aqui

Read Full Post »